LAPEC
LAPEC
UNIMED

Testes positivos de covid-19 são mais de 40% no estado do Rio

Por Raphael Gonçalves Neto em 10/01/2022 às 23:42:07

A taxa de positividade dos testes de covid-19 na cidade do Rio, considerando o acumulado das redes p√ļblica e privada nesta semana, chegou a 43%, segundo dado divulgado hoje (9) pela Secretaria Municipal de Sa√ļde. A Secretaria Estadual de Sa√ļde também calcula que a taxa de positividade tenha passado de 40%, marcando 41% na √ļltima sexta-feira (7).

O percentual de positividade nos testes realizados na capital continua a subir desde a semana anterior ao Natal, quando saiu de 0,7% e chegou a 5,5%. A proporção registrada hoje significa que, de cada 100 testes realizados na cidade, 43 detectam o coronavírus no paciente.

Continua após o an√ļncio


A Secretaria Municipal de Sa√ļde informa que realizou mais de 52 mil testes de covid-19 na primeira semana de 2022. O n√ļmero é o maior na série histórica de semanas epidemiológicas, que consta no painel de dados mantido pela prefeitura, e é mais que o dobro da √ļltima semana de dezembro, quando foram realizados cerca de 20 mil testes.

Dos mais de 52 mil testes, cerca de 49 mil s√£o de ant√≠geno, 2,5 mil s√£o RT-PCR e pouco mais de 200 s√£o de anticorpos ou sorológicos.

Somente ontem (8), os três novos centros de atendimento a pacientes com síndrome gripal, inaugurados pelo município no Clube dos Servidores Municipais, na Cidade Nova; no Ciep Nação Rubro Negra, no Leblon; e na Arena Chacrinha, em Guaratiba, registraram respectivamente 964, 2.900 e 594 testes.

Hoje (9) de manh√£, também houve grande procura pelos centros de testagem na cidade e, no Clube dos Servidores Municipais, pacientes chegaram a esperar por mais de duas horas para realizar o exame.

Assim como outras partes do pa√≠s, a cidade vive crescimento acelerado no n√ļmero de casos devido à dissemina√ß√£o da variante Ômicron, considerada de preocupa√ß√£o pela Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde por ser mais contagiosa que as demais cepas do coronav√≠rus.

Segundo estimativa do secret√°rio municipal de sa√ļde do Rio, Daniel Soranz, a variante levou apenas 17 dias para se tornar a dominante na capital e hoje j√° responde por mais de 98% das infec√ß√Ķes.

Em boletim divulgado nesta semana, pesquisadores da Funda√ß√£o Oswaldo Cruz (Fiocruz) ressaltam que a dissemina√ß√£o da nova variante no Brasil se soma à epidemia de gripe causada pelo H3N2 e à grande circula√ß√£o de pessoas durante as festas de fim de ano.

"Todos esses elementos contribuem para causar impacto negativo na din√Ęmica da pandemia e na capacidade de enfrentamento, na sa√ļde da popula√ß√£o e no sistema de sa√ļde", avaliam os pesquisadores. Eles ressaltam que a variante est√° relacionada à menor gravidade nos casos de covid-19, mas pode pressionar os servi√ßos de sa√ļde pelo potencial de causar aumento abrupto de casos.

*Colaborou o repórter Vitor Abdala

Fonte: Agência Brasil


Fonte: Agência Brasil

Comunicar erro
UNIMED
LAPEC

Coment√°rios