LAPEC

Anvisa proíbe produtos com fenol em procedimento de saúde ou estético

Por Raphael Gonçalves Neto em 25/06/2024 às 19:39:36

A AgĂȘncia Nacional de Vigilância SanitĂĄria (Anvisa) proibiu a importação, fabricação, manipulação, comercialização, propaganda e o uso de produtos à base de fenol em procedimentos de saĂșde em geral ou estéticos. A resolução foi publicada no DiĂĄrio Oficial da União.

No inĂ­cio deste mĂȘs, um jovem de 27 anos morreu em São Paulo após complicações geradas por um peeling de fenol. O rapaz fez o procedimento em uma clĂ­nica estética. A dona do local não tinha especialidade ou autorização para fazer esse tipo de peeling. A polĂ­cia investiga o caso como homicĂ­dio. A clĂ­nica foi interditada e multada.

Em nota, a Anvisa informou que a proibição tem como objetivo zelar pela saĂșde e pela integridade fĂ­sica da população, "uma vez que, até a presente data, não foram apresentados à agĂȘncia estudos que comprovem a eficĂĄcia e segurança do produto fenol para uso em tais procedimentos".


"A determinação ficarĂĄ vigente enquanto são conduzidas as investigações sobre os potenciais danos associados ao uso desta substância quĂ­mica, que vem sendo utilizada em diversos procedimentos invasivos", completou a Anvisa.

Entenda

O peeling de fenol é um procedimento autorizado no Brasil. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), é indicado para tratar envelhecimento facial severo, caracterizado por rugas profundas e textura da pele consideravelmente comprometida.

A técnica - executada de forma correta e seguindo as orientações - traz resultados na produção de colĂĄgeno e redução significativa de rugas e manchas. A entidade, entretanto, considera o procedimento invasivo e agressivo e diz que a realização em toda a face demanda extrema cautela.

"É importante ressaltar que o procedimento apresenta riscos e tempo de recuperação prolongado, exigindo afastamento das atividades habituais por um perĂ­odo estendido", explicou a Anvisa.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) defende que procedimentos estéticos invasivos, como o peeling de fenol, sejam feitos apenas por médicos, preferencialmente com especialização em dermatologia ou cirurgia plĂĄstica, de forma a garantir ao paciente atendimento com competĂȘncia técnica e segurança.

O CFM reitera ainda que, mesmo realizado por médicos, todo procedimento estético invasivo deve ser realizado em ambiente preparado, com obediĂȘncia às normas sanitĂĄrias e com estrutura para imediata intervenção de suporte à vida em caso de intercorrĂȘncias.

A entidade chegou a cobrar providĂȘncias, por parte de outros órgãos de controle, para coibir abusos e irregularidades na ĂĄrea.

"A AgĂȘncia Nacional de Vigilância SanitĂĄria (Anvisa), com o apoio das vigilâncias estaduais e municipais, deve reforçar a fiscalização aos estabelecimentos e profissionais que prestam esse tipo de serviço sem atenderem aos critérios definidos em lei e pelos órgãos de controle".

Fonte: AgĂȘncia Brasil


Fonte: AgĂȘncia Brasil

Comunicar erro
Lapec

ComentĂĄrios